13 abril

Folia em Lousada

Escrito por 

Sob o signo dos 400 anos da morte de Shakespeare…
De 22 de Abril a 1 de Maio… ‘a(o) Folia’ é total em Lousada
“A Fera Amansada” - obra do dramaturgo inglês em estreia pela Jangada Teatro
Idea Theatre Group, Teatro Corsário, Companhia do Chapitô, Teatro do Montemuro, Plot Teatro, Palmilha Dentada, Vitorino D’Almeida e Paulo de Carvalho figuram no cartaz do 16º Festival Internacional de Artes do Espetáculo

Consultar programa clicar AQUI

 

Há um provérbio que diz: “Beleza e folia fazem boa companhia”. Perante tal asserção do adágio popular, que faz todo o sentido, e no caso de um festival de teatro ‘faz todo o sentado’, sobretudo para os espectadores, é com um programa preenchido de beleza cénico-dramatúrgica que o Folia’16 – Festival Internacional das Artes do Espectáculo vai abrir o pano.

Este décimo sexto fascículo do evento contempla uma programação vasta. Na demanda de um índice qualitativo em crescendo de edição para edição, a organização da iniciativa apostou em ir buscar à Grécia uma companhia cujo espectáculo “Romeo and Juliet for 2” tem sido premiado em várias paragens onde tem feito itinerância. A presença do Teatro Corsario, prestigiada companhia espanhola sediada em Valladolid, bem como da Companhia do Chapitô (Lisboa), do Teatro do Montemuro (Castro Daire), da Palmilha Dentada (Porto) e do Plot Teatro (Odivelas) constituem o elã convidativo para uma vinda ao Auditório Municipal de Lousada, entre os próximos dias 22 de Abril e 1 de Maio.

Contudo, face à programação de um acontecimento deste calibre, as artes cénicas convidam também a música a estar presente, de resto como se impõe. Dois concertos, um pelo maestro Vitorino D’Almeida, na véspera do Dia da Revolução, dia 24, às 16h00, e outro a cargo do cantor Paulo de Carvalho, marcado para o dia 25 de Abril (significativo o facto de ser neste dia, basta relembrar o tema simbólico “E Depois do Adeus”), integram o cardápio das opções.

O elemento aglutinador, a chancela temática do Folia’16 passa pelo 400º aniversário da morte de William Shakespeare, tendo recaído a escolha sobre a figura e a obra do dramaturgo inglês. 

Três companhias evocam através de peças a ‘(re)apresentar’ nesta décima sexta edição do Folia, a figura mais universal do teatro: a Companhia do Chapitô, com o clássico “Macbeth”, os gregos do Idea Theatre Group com “Romeo e Juliet for 2” e a Jangada Teatro, que joga em casa, a estrear a sua versão de “A Fera Amansada”.

Deve realçar-se, de igual modo, que com este conceito subjacente ao Folia’16 nada melhor do que convidar John Mowat, o encenador britânico conhecido pela exuberância expandida dos seus cabelos brancos, mas sobretudo pelas encenações de belo efeito, para dirigir o colectivo da Jangada Teatro nesta proposta shakespeariana. A verdade é que o londrino que em Portugal esteve sempre muito tempo ligado ao Chapitô encena também a peça da companhia lisboeta presente neste festival e ainda assina o trabalho de cena do Plot Teatro, com a peça “Cinderela”.

“A Fera Amansada” caracteriza-se por ser um trabalho que se inscreve no domínio da comédia física, assente no trabalho de três actores e um músico. São quase duas dezenas de personagens alimentadas pelo virtuosismo de dois actores e da actriz desta fera amansada. No elenco figuram Rita Calatré, Luiz Oliveira e Vítor Fernandes. A música ao vivo estará a cargo de Rui Sousa. Desenho de Luz: Fred Meireles e Fernando Oliveira. Design gráfico: Glitz Design. Fotografia e vídeo: Instinto Filmes.

A iniciativa conta ainda com a presença de Inês Barros, caricaturista, através de uma mostra que reúne alguns trabalhos da artista e que tem por título “Caricaturar”.

Quase 17 de anos de existência é um número significativo para a Jangada Teatro. As 16 edições do Folia - Festival Internacional das Artes do Espectáculo constituem também motivo de orgulho para quem tem pugnado pela descentralização cultural e promovido as artes cénicas fora dos grandes centros. Acresce a isto a intensificação da aposta numa política de internacionalização artística por parte da Jangada Teatro, convidando companhias e estruturas a virem até Lousada e, por outro lado, mostrando os espectáculos produzidos quer em Portugal quer além-fronteiras para um número surpreendente de 220.000 espectadores. Uma parte significativa destes em palcos de Espanha, França, Lituânia, Brasil, EUA, México e China.

Até porque os laços de afinidade criativa são imensos, a seguir ao ‘Folia’ existe um ‘Foliazinho’, que já vai para a 9º edição, destinado aos mais pequenos, que decorrerá entre 3 e 7 de Maio. Enviamos em anexo os programas dos dois festivais.