×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 285
08 março

Autarca de Paços de Ferreira contra atrasos na reparação do troço da A41

Escrito por 

 

Humberto Brito, presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, exigiu hoje à administração da Ascendi Norte - Autoestradas Do Norte, S.A. a rápida reparação do troço afetado pelo aluimento de pavimento na autoestrada A41, no passado dia 12 de fevereiro, entre o nó de Alfena e o nó da A3.

O autarca de Paços de Ferreira considera que uma previsão de 16 semanas para a normalização do tráfego rodoviário é “manifestamente exagerado e causa prejuízos elevados ao concelho”, exigindo que a ASCENDI encontre mecanismos céleres para diminuir o tempo de interrupção naquela via, considerada estruturante para Paços de Ferreira.

“Paços de Ferreira tem cinco mil empresas que faturam mil milhões de euros anuais, dispondo de um milhão de metros quadrados de área comercial, apenas num raio de cinco quilómetros, que faz deste concelho o maior centro comercial do mobiliário da Europa. Acresce que se trata de um concelho que tende a crescer.  E não pode esse desígnio ser travado pela falta de mobilidade que afeta a todos, sobretudo as empresas transportadas e exportadoras”, escreveu Humberto Brito.

O Presidente da Câmara de Paços de Ferreira lembra que a A42 demorou 20 anos a ser concluída e era, até há bem pouco tempo, apenas um sonho desta terra e desta gente, sendo hoje uma realidade, a nossa única e mais importante ligação ao Porto, a Espanha e à Europa. A A42 é já um elo insuficiente nesta ligação ao mundo dos nossos dias!

Nesse sentido, “a interrupção da A41 no troço mencionado, em tempo que considero excessivo, é lesiva aos interesses económicos deste Município que regista um dos mais elevados movimentos pendulares quer na A42, quer na A41 em direção ao aeroporto Dr. Francisco Sá Carneiro, quer ao porto de mar de Leixões”, conclui Humberto Brito.